quarta-feira, 30 de maio de 2012

Obra do acaso?


Ainda dentro do tema da Recriaçao, neste post vou falar um pouco (resumidamente) sobre um tema polemico e muito pertinente dentro deste estudo que é a Teoria da Evolução.
Veremos o que a Bíblia e a ciência têm a dizer a partir das abordagens científica e teológica. Vou apresentar alguns princípios científicos fundamentais e compará-los com os princípios Bíblicos.


  
A ciência

Não há uma definição única do que é ciência, mas uma das definições mais aceitas é: “um ramo de estudo ligado a um corpo de verdades apresentadas com fatos classificados sistematicamente, mais ou menos ligados e apresentados sobre leis gerais e que incluem métodos que possibilitem as descobertas de novas verdades dentro do mesmo domínio.”
Metodologia científica: a observação, a experimentação, a formulação de hipóteses, previsibilidade e controle. Sendo a observação e a experimentação os pontos chaves do método científico, sem estes não pode haver ciência.

Criacionistas

Dizem que existe um Deus que criou todas as coisas. Houve um ato de criação e um tempo de criação. Um agente externo e anterior ao Universo criou todas as coisas completas e acabadas e este agente é Deus. Sabemos quem é Deus através da revelação da Sua Palavra. Mas a revelação não é método científico, portanto o criacionismo não é considerado ciência.

Evolucionistas

Dizem que a matéria é sempre eterna e dela se origina todas as coisas, até as vidas mais complexas. O universo é resultado de uma explosão que ocorreu a bilhões de anos e que resultou no que vemos hoje. O processo da evolução é tão lento que não pode ser observado. No entanto, o que não pode ser observado e experimentado não é ciência. Como então se pode dizer que houve uma explosão a bilhões de anos, se não havia ninguém lá para ver? Essa é uma revelação da imaginação humana.

A grande Questão 

Não existe empirismo puro em nenhuma delas, ambas contém elementos metafísicos e científicos. Então, como poderemos saber quem está com a verdade? É simples, pelas evidências encontradas na natureza, que são observadas e experimentadas. Portanto, aqui iremos submeter as teorias do Criacionismo e do Evolucionismo a uma análise científica baseada em quatro leis da ciência (não são teorias, são provadas e por isso são leis).


Lei da Biogênese
  
Há muitos anos atrás (século XIX) as pessoas acreditavam que a carne apodrecida se transformava em vermes. Até que cientistas (como Louis Pasteur) descobriram a lei da biogênese, que diz: “vida somente provém de vida, um organismo vivo provém de outro semelhante”.

Análise

Segundo os evolucionistas a matéria inanimada e inorgânica produz vida até suas formas mais complexas. Mas, de acordo com esta lei, o inorgânico não pode produzir o orgânico. A matéria inanimada não pode produzir vida. Se a matéria inorgânica é a mãe de todas as coisas, a lei da biogênese seria falsa (mas é cientificamente comprovada).
O criacionismo diz que um Deus (vivo) cria seres vivos, semelhantes a Ele. (Genesis 1:26). Isto está de acordo com este postulado da biogênese.

1ª Lei da Termodinâmica

Esta é a parte da física que estuda o comportamento e as transformações de Energia na natureza, as relações de equilíbrio entre estados energéticos que se manifestam através do calor e do movimento. Energia é o potencial de um corpo em produzir Trabalho.
A 1ª Lei da Termodinâmica afirma que “Nada se cria, nada se copia, tudo se transforma.”
Isto quer dizer que a energia não é criada nem destruída, mas convertida de uma forma para outra. Na transformação do calor em Trabalho, as quantidades inicial e final de ambos são equivalentes, e a soma total destes valores são iguais antes e depois da transformação.

Análise

Evolução significa transformação, mutação. Portanto, se nada está sendo criado ou destruído, a evolução das espécies não pode acontecer sem transgredir esta Lei. Os evolucionistas dizem que a energia está em expansão, em evolução, e isso é impossível, pois a quantidade total de energia é sempre a mesma. Não está havendo produção de energia nem evolução de energia.
O criacionismo afirma que Deus fez todas as coisas completas e acabadas, ou seja, a quantidade de energia é sempre a mesma (não muda), em conformidade com esta lei científica.

A 2ª Lei da Termodinâmica

A 2ª Lei da Termodinâmica também conhecida como Entropia, afirma que é possível transformar qualquer tipo de energia totalmente em calor, mas não é possível transformar o calor totalmente em energia, porque uma parte dela voltará a ser calor (que é a energia em sua forma mais degradada).

A entropia não pode diminuir, ela pode se manter constante ou aumentar, pois outras formas de energia sempre se transformam em calor. A partir deste princípio, esta Lei afirma que o universo caminha de níveis organizados para níveis cada vez mais desorganizados. Toda a desordem que pode haver em um sistema altamente complexo faz com que este sistema caminhe de maneira decrescente. Toda a natureza está em descendência.

Análise

Os evolucionistas dizem que o universo caminha de níveis desorganizados para níveis cada vez mais organizados (evolução, ascendência). Isso é totalmente contrário a 2ª Lei da Termodinâmica.
O criacionismo (Bíblia) diz que Deus fez todas as coisas completas e perfeitas, e quando o pecado entrou no mundo tudo entrou em colapso e o sistema se desorganizou. Por isso o universo caminha para o caos.

Salmo 102
25 Em tempos remotos, lançaste os fundamentos da terra; e os céus são obra das tuas mãos.
26 Eles perecerão, mas tu permaneces; todos eles envelhecerão como uma veste, como roupa os mudarás, e serão mudados.
27 Tu, porém, és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.

Causa e Efeito

É aceita em todos os campos da ciência. Afirma que nenhum efeito é quantitativamente maior e qualitativamente superior a causa. O efeito nunca pode ser maior do que a causa (uma simples questão de lógica).


Análise

A evolução diz que a matéria inanimada é a causa de efeitos complexos como a vida humana. Matéria inanimada menos complexa que a vida humana, isso é impossível diante da lei da causa e efeito.
O criacionismo diz que Deus (Onipotente, Onipresente, Onisciente, Eterno) criou o homem como um ser limitado. Portanto, Deus é a causa da vida humana (o efeito). Isto está em perfeito acordo com essa lei científica.

E os fósseis?

A Bíblia diz que Deus criou os seres vivos cada um segundo suas espécies. Sabemos que o produto que nasce do cruzamento de espécies diferentes não tem capacidade de auto reprodução. Cada ser vivo tem uma forma peculiar (genética) e só pode reproduzir seres da mesma espécie.
Os evolucionistas alegam que a partir da matéria inorgânica, por obra do acaso, a mutação das espécies e a seleção natural possibilitaram o surgimento de organismos mais complexos. A mutação, porém, causa desordem, diminuindo a complexidade dos organismos. Ela gera a involução fazendo as coisas decrescerem (causando a Entropia).

Darwin afirma em seu livro que os registros fósseis provam que realmente ouve uma evolução das espécies. Os fósseis são plantas e animais soterrados que ao longo de muitos anos foram sedimentados e transformados em rocha.
Se houvesse evolução, o registro fóssil teria que apresentar formas de vida menos complexas mais antigas que as formas de vidas mais complexas. O que é menos desenvolvido tem que ser mais antigo do que o que é mais desenvolvido (obviamente, se falamos em evolução).

No entanto, o registro fóssil apresenta formas de vida mais complexas que são mais antigas que formas de vida menos complexas. Vemos uma escala descendente e não ascendente, como se espera de um processo evolutivo. No registro fóssil vemos vidas complexas surgirem de forma abrupta (fora de um processo de evolução) porque não existem formas de transição das espécies (entre peixes e anfíbios, anfíbios e répteis e répteis e mamíferos). Existe uma lacuna entre as espécies que pode ser observada ainda hoje.


E os primatas?

Um dos fósseis mais completos que foi encontrado é conhecido como homem de Neandertal, era considerado o primeiro primata da escala evolutiva, mais tarde se descobriu que ele era tão humano quanto nós, mas sofria de um raquitismo. Já foi encontrado fóssil humano (como o meu e o seu) mais antigo que o de Neandertal. 
Outro primata encontrado é o homem de cro-magnon, que é mais forte e de maior estatura que o homem moderno (contrário a um processo evolutivo).

Por que Deus criou o mundo?

Ora, Deus é Amor. O amor não se contém em si mesmo, ele se expressa de forma altruísta e só pode ser manifestado (por Aquele que ama) a outro ser. Aquele que ama apenas a si mesmo não sabe o que é amar, não pode haver amor sem haver o outro.

Um Ser moral, bondoso, benigno (atributos divinos) é um Ser que AMA. Amar faz parte da essência de Deus e isso implica na existência do objeto amado. Deus criou o mundo para que o homem pudesse existir e o homem foi criado para Deus amá-lo.


O Amor é a causa de todas as coisas. O amor é o vínculo da perfeição!

Considerações

Não pretendo aqui esgotar o assunto, mas apenas instigar a curiosidade do leitor. Este texto foi baseado (além das minhas pesquisas) em uma pregação do Pr. Silas Malafaia, que manda muito bem por sinal. Achei muito interessante e pertinente o assunto, espero que tenha acrescentado e edificado a todos.
Glórias a Deus por seu infinito amor!

Para Refletir:

1. A causa do universo infinito tem que ser Infinita: Deus ou a matéria?
2. A causa do tempo infinito tem que ser Eterna: Deus ou a matéria?
3. A causa da energia ilimitada tem que ser Onipotente: Deus ou a matéria?
4. A causa do amor tem que ser Amorosa: Deus ou a matéria?
5. A causa da vida tem que ser Viva: Deus ou a matéria?





sábado, 26 de maio de 2012

A Recriação



Nos posts anteriores falei sobre a Criaçao dos primeiros céus e terra antes da queda de Lúcifer mostrando o que aconteceu entre Genesis 1:1 e 1:2.

No entanto, naquele cenário caótico havia um detalhe que fez toda a diferença: e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas.” A palavra “pairar” no hebraico é RACHAPH, que significa: chocar. Esta palavra está sempre ligada com reproduçao, ou seja, o Espírito Santo estava gerando vida em meio ao caos. (Glória a Deus!)
Agora, neste post, vamos falar da RECRIAÇAO dos céus e da terra, que se encontra nos versos abaixo:


Genesis 1:3-25
3 Disse Deus: Haja luz; e houve luz. 4 E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas. 5 Chamou Deus à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia.
6 E disse Deus: Haja firmamento no meio das águas e separação entre águas e águas. 7 Fez, pois, Deus o firmamento e separação entre as águas debaixo do firmamento e as águas sobre o firmamento. E assim se fez. 8 E chamou Deus ao firmamento Céus. Houve tarde e manhã, o segundo dia.
9 Disse também Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca. E assim se fez. 10 À porção seca chamou Deus Terra e ao ajuntamento das águas, Mares. E viu Deus que isso era bom. 11 E disse: Produza a terra relva, ervas que dêem semente e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nele, sobre a terra. E assim se fez. 12 A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo a sua espécie e árvores que davam fruto, cuja semente estava nele, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom. 13 Houve tarde e manhã, o terceiro dia.
14 Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos. 15 E sejam para luzeiros no firmamento dos céus, para alumiar a terra. E assim se fez. 16 Fez Deus os dois grandes luzeiros: o maior para governar o dia, e o menor para governar a noite; e fez também as estrelas. 17 E os colocou no firmamento dos céus para alumiarem a terra, 18 para governarem o dia e a noite e fazerem separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom. 19 Houve tarde e manhã, o quarto dia.
20 Disse também Deus: Povoem-se as águas de enxames de seres viventes; e voem as aves sobre a terra, sob o firmamento dos céus. 21 Criou, pois, Deus os grandes animais marinhos e todos os seres viventes que rastejam, os quais povoavam as águas, segundo as suas espécies; e todas as aves, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom. 22 E Deus os abençoou, dizendo: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei as águas dos mares; e, na terra, se multipliquem as aves. 23 Houve tarde e manhã, o quinto dia.
24 Disse também Deus: Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selváticos, segundo a sua espécie. E assim se fez. 25 E fez Deus os animais selváticos, segundo a sua espécie, e os animais domésticos, conforme a sua espécie, e todos os répteis da terra, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.

Deus e o tempo

“I Coríntios 2
7 mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória;”

Deus é Auto existente, Ele sempre existiu e nunca deixará de existir. Deus está fora do tempo, já criou todas as coisas. Quando Ele criou tudo, não estava sujeito ao tempo. Deus não começou criando e esperou, como se existisse presente, passado e futuro. Isso somos nós que estamos vivenciando. Ele anuncia o que vai acontecer antes de acontecer. (Leia o Salmo 139).
Nós estamos sujeitos aos termos presente, passado e futuro, mas Deus não. Para Deus tudo está pronto, tudo é presente. É difícil entendermos, pois não faz parte da nossa experiência natural. Se nos perguntarmos: O que é eternidade? Responderíamos: É algo que nunca teve começo e nunca terá fim, mas para nós é mais lógico que tudo tenha um começo e um fim! Para Ele está tudo pronto, mas aqui no tempo e no espaço, tudo está se desenrolando para o homem.

Curiosidades

A palavra “dia” no hebraico é YOWM, que significa: tempo, ano, era, período, divisão de tempo, jornada de trabalho, oposição a noite, período de 24 horas.

Devido aos significados diversos da palavra, cada dia da criação pode ser considerado tanto sendo um dia de 24 horas, ou uma Era, ou um período de trabalho em que Deus criava. Na verdade isso não importa, desde que saibamos que foi Deus quem criou todas as espécies de plantas e animais.
Podemos ver uma lógica e coerência nos dias da (re)criação:

1- Deus cria a luz.              
4- Deus cria os astros, Sol e Lua, estrelas.
2- Deus cria o céu e separa as águas.
5- Deus cria as aves e os peixes.
3- Deus cria a porção seca.
6- Deus cria os animais e o homem.

Vemos aqui que há uma correspondência entre o 1º e 4º dia em que Deus cria a Luz para então criar os luzeiros, entre o 2º e 5º dia em que Deus cria o céu e os mares para então colocar as aves e os peixes, e entre o 3º e 6º dia em que Deus cria a terra seca para então colocar os animais e o homem. (Só uma curiosidade dentro da lógica de causa e efeito!)

Os Seis Dias

Vamos analisar agora cada dia da criação.

1º Dia

Antes do pecado não havia trevas e toda a luz emanava do próprio Deus. Como havia somente trevas na terra e céus criados originalmente, Deus agora cria a luz em meio as trevas, luz que até então vinha do próprio Deus (II Coríntios 4:6).
Com a entrada do pecado, a terra transformou-se em caos, trevas. Deus então criou a luz e fez separação entre a luz e as trevas. Com isso Deus pôde prosseguir com Seu plano da criação.

Salmos 119
105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.

Observe as palavras: "e disse Deus". Podemos ver que Deus criou tudo pela Sua
Palavra. É um princípio de Deus ordenar tudo pela Sua Palavra, porque ela é Luz e a luz é a energia a partir da qual Deus gerou todas as coisas, sem a luz não pode haver vida na Terra.

Salmos 33
6 Os céus por sua palavra se fizeram, e, pelo sopro de sua boca, o exército deles.

Hebreus 11
3 Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem.

Deus criou o Universo do NADA, por meio de Sua Palavra. A Palavra de Deus, que é Jesus (e Ele é a Luz do mundo), tem poder suficiente para criar todas as coisas, trazendo a existência aquilo que não existe.

João 1
1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.

A Palavra de Deus é poderosa não somente para criar todas as coisas, mas para sustentá-las. Deus disse, e sua voz ecoa ainda hoje sustentando o Universo por meio dela. Como já vimos o universo está em expansao, astros e estrelas morrem e nascem todo tempo e também os seres vivos, ou seja, a criação continua porque é sustentada pela Palavra de Deus dita no princípio.

Hebreus 1
3 Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas,

II Pedro 3
5 Porque, deliberadamente, esquecem que, de longo tempo, houve céus bem como terra, a qual surgiu da água e através da água pela palavra de Deus,

Salmos 29
4 A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade.

2º Dia

Nesta etapa Deus cria o firmamento e separa as águas. O que é o firmamento? O que são as águas?
Imagine comigo como uma figura o verso de Genesis 1:2. Primeiramente a Terra vazia e desforme, envolvida por um abismo em trevas coberto por águas e acima de tudo o Espírito Santo.
O firmamento é chamado de Céus, e foi criado no meio das águas sobre as quais estava o Espírito Santo, e estas aguas foram separadas. O que isto quer dizer?

1. Os céus (firmamento) é o hemisfério celeste que divide as águas. Este hemisfério é o que separa o universo visível em que habitamos e o local da morada de Deus (o terceiro céu).

2. A Bíblia nos ensina da existência de 3 céus:
O primeiro céu é a atmosfera que circunda a terra e possibilita a vida no planeta; há uma divisão perfeita e esférica entre o primeiro e o segundo céu.
O segundo céu é o espaço visível onde estão o sol e os planetas, as estrelas, as constelações e galáxias, terminando no firmamento, que é sólido como um espelho fundido. Portanto o universo visível tem fim, o firmamento é o seu limite.
O firmamento, como um espelho, nos impede de ver a glória de Deus e o seu trono, que estão no terceiro céu.

II Coríntios 12
2 Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe)
3 e sei que o tal homem (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe)
4  foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir.

Paulo usa a expressão “terceiro céu” para se referir ao paraíso. Ele foi arrebatado até o céu onde Deus habita e ouviu palavras inefáveis reveladas por Ele. Muitas vezes na Bíblia encontramos a expressão "céu dos céus"

3. A água é um elemento do terceiro céu:

Salmo 29
3 Ouve-se a voz do Senhor sobre as águas; troveja o Deus da glória; o Senhor está sobre as muitas águas.

Salmo 104
3 pões nas águas o vigamento da tua morada, tomas as nuvens por teu carro e voas nas asas do vento.

Salmo 148
4 Louvai-o, céus dos céus e as águas que estão acima do firmamento.
5 Louvem o nome do Senhor, pois mandou ele, e foram criados.

Jeremias 10
12 O Senhor fez a terra pelo seu poder; estabeleceu o mundo por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus.
13 Fazendo ele ribombar o trovão, logo há tumulto de águas no céu, e sobem os vapores das extremidades da terra; ele cria os relâmpagos para a chuva e dos seus depósitos faz sair o vento.

3º Dia

A água é fonte de vida. As águas que estão abaixo do firmamento formam os mares e as nuvens. Elas existem para que haja vida vegetal e animal na terra. Elas foram ajuntadas em um só lugar (verso 9) que é nosso planeta.
Jó 38
8 Ou quem encerrou o mar com portas, quando irrompeu da madre;
9 quando eu lhe pus as nuvens por vestidura e a escuridão por fraldas?
10 Quando eu lhe tracei limites, e lhe pus ferrolhos e portas,
11 e disse: até aqui virás e não mais adiante, e aqui se quebrará o orgulho das tuas ondas?

Entao, Deus criou A porção seca em meio os mares, e como já havia a agua, Ele criou a vida vegetal segundo suas espécies. Portanto cada planta daria seu próprio fruto segundo uma genética específica, e fica claro que a criação não carece de evolução.

4º Dia



A criação dos luzeiros se refere aos astros e aos corpos celestes. A função destes dois luzeiros está bem clara e era conhecida desde a antiguidade, que é separar o dia e a noite, as estações a contagem de dias e anos, que até hoje são feitas de acordo com o ciclo da lua e do sol, este propósito não mudou.
Um fato curioso que me chamou a atenção é que a terra e as plantas já existiam, foram criadas antes do sol e da lua. A luz e a água já existiam e isto era suficiente para a vida vegetal, as estrelas vieram depois acredito que para que houvesse a divisão do tempo em dias, meses e anos o que traria equilíbrio necessário para o desenvolvimento dos vegetais de acordo com suas épocas na natureza.
Este relato feito provavelmente por Moisés mostra a visão do universo na perspectiva humana daquele tempo. Hoje sabemos que existem estrelas maiores que o Sol, e que a Lua não tem luz própria. No entanto, este tipo de informação não estava acessível aos homens quando o livro de Genesis foi escrito, o que prova a veracidade deste relato de acordo com a ciência daqueles dias.
A Bíblia foi inspirada por Deus, porém vemos que o escritor relata os fatos de acordo com seu ponto de vista, o que não o torna falso, mas verdadeiro no contexto cultural do escritor. É importante lembrar que quando lemos um texto na Bíblia não podemos interpretá-lo de acordo com nossa cosmovisao, mas devemos entender qual a realidade vivida pelo autor e por seus destinatários, neste caso Moisés explicando a história do povo de Deus para o próprio povo que é Israel.

5º Dia

Após o estabelecimento dos céus, a preparação da terra e o equilíbrio do universo estrelar, Deus criou os animais dos ecossistemas aquático e aéreo, que já estavam estabelecidos e prontos para que houvesse a vida. Deus é um Deus de ordem, tudo o que Ele faz tem uma lógica organizacional. Vemos isto pela nossa biodiversidade e complexidade do universo que é provada pelas ciências biológicas e exatas.
A exatidão da criação e das leis da natureza (gravidade, relatividade) provadas pela física, química e biologia são a maior prova da excelência da criação de Deus, tudo foi posto em seu devido lugar com sua devida função. O desequilíbrio de qualquer ecossistema pode causar grandes danos ao planeta e á vida, é o que temos visto atualmente depois de tanta destruição e descaso pelo nosso planeta.

6º Dia


No último dia da criação Deus finaliza colocando na porção seca todo tipo de animal terrestre, novamente segundo suas espécies contradizendo a evolução.
Deus ordena que os animais se multipliquem e povoem os ares, as águas e a terra. O propósito da criação sempre foi a multiplicação através da reprodução, princípio que é valido para toda criatura de Deus.
Vemos aqui que Deus criou os seres vivos e lhes deu condição para que a criação não parasse, mas se perpetuasse, pois Ele é um Deus infinito e sua criação não seria diferente. O universo todo permanece ainda hoje se recriando todos os dias. Estrelas, plantas, animais e homens continuam nascendo e sendo criados para Deus mediante Seu poder infinito que possibilita a continuidade do criacionismo.
Nos próximos posts vou escrever sobre a última etapa deste dia, a finalização da obra de Deus que é chamada de coroa da criação, o único ser criado à semelhança de Deus: o homem.
O que Deus quer que saibamos com estes versos é que Ele é o criador de todas as coisas que existem, todos os astros, estrelas e planetas e toda forma de vida.

Curiosidades

1. A Bíblia não é um livro científico, ela é um livro histórico com evidências inequívocas de fatos que têm sido confirmados pela arqueologia. A linguagem usada na Bíblia não é simbólica nem metafórica (como muitos pensam). Só podemos identificar a simbologia existente na Bíblia usando a própria língua hebraica para isso, e não a tradução em português.
2. Em uma de minhas pesquisas sobre a criação, encontrei um vídeo de um geólogo cristão que defende a ideia de que o termo “espécie” mencionado na Bíblia não significa o mesmo que “espécie” de acordo com a biologia. O termo bíblico é um termo genérico/básico que abrange espécie, gênero e família (Taxonomia científica). Isso indicaria que as famílias de seres vivos foram se dividindo em gêneros que se dividiram (geneticamente) em espécies como conhecemos hoje. Verdade ou não, acho interessante.
3. A última curiosidade trata-se da expressão “tarde e manha” muito utilizada por Moisés para definir a passagem dos dias. Sempre me peguei questionando esta forma de se referir a definição de um dia completo. Não seria “manha e noite” a expressão mais correta?
Sim, claro! Somente para nós ocidentais, que não entendemos a cultura judaica. Para os judeus o dia começava ao pôr-do-sol, não ao nascer do sol. Coisa bizarra, mas explica por que Moisés usou esta expressão “tarde e manha”. Mais uma vez a contextualização cultural faz toda a diferença na hora de entender o autor do livro. 

Jesus e a Recriação

Na época do êxodo, no oriente próximo os povos tinham mitos cosmogônicos: são histórias que explicam como o mundo surgiu. Esses mitos transmitiam ideias e as ideias controlam o mundo, dominam a realidade.
Por exemplo: de acordo com esses mitos o homem foi criado pelos deuses para servi-los. Existia apenas um homem a imagem de deus que era o rei. O rei tinha direito sobre todos os homens, justificando a escravidão.
Em Genesis, Moisés escreve a história da Criação do Deus verdadeiro para que Israel soubesse a Verdade e cumprisse o objetivo de revelar o Deus Vivo as outras nações da terra.
Jesus é o Verbo, que no grego é LOGOS que significa palavra ou ideia. Portanto Jesus é Ideia que está por trás da (re)criação, e a partir dela o mundo foi criado (João 1). Jesus é a Ideia que deve controlar o mundo e dominar a realidade.
Sabemos que por causa do pecado que entrou na terra, as ideias de Satanás  estão controlando e dominando as mentes (o mundo jaz no maligno). Mas, Cristo veio à terra para abrir o caminho de volta a Ideia original de Deus, que é o relacionamento do homem com Ele.

Colossenses 1
20 e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus. 21 E a vós outros também que, outrora, éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras malignas, 22 agora, porém, vos reconciliou no corpo da sua carne, mediante a sua morte, para apresentar-vos perante ele santos, inculpáveis e irrepreensíveis, 23 se é que permaneceis na fé, alicerçados e firmes, não vos deixando afastar da esperança do evangelho que ouvistes e que foi pregado a toda criatura debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, me tornei ministro.

O propósito principal da (re)criação é: manifestar a Glória de Deus. Jesus veio resgatar isto na cruz, reconciliando TODAS as coisas com Deus, inclusive a criação corrompida pelo pecado. Por causa disso quando o domínio de Satanás findar (apocalipse) Jesus dominará e reinará sobre toda a terra.
Hoje como filhos de Deus, nós cristãos, podemos viver de acordo com essa Ideia (Mente de Cristo) e estabelecer o Reino dos céus na terra. A Ideia que Cristo veio transmitir é a Lei do Amor que deve controlar nossas vidas e o tudo ao nosso redor. Por trás da criação do universo está o Amor de Deus que deve sempre nos guiar.

Para Refletir:


João 15
9 Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor. 10 Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Entendendo mais sobre a queda de Satanás


Ainda no contexto da origem do pecado, gostaria de esclarecer algumas coisas sobre os princípios de Deus diante do pecado e do pecador. Quando você conhece os princípios físicos, fica mais fácil entender as coisas naturais que nos cercam. Espiritualmente é a mesma coisa, devemos procurar e entender os princípios espirituais.

1) Deus criou seres livres

 Deus não criou robôs ou bonecos programados! Não teria sentido Deus criar seres e obrigá-los a adorá-lo, Deus criou seres livres. Todo ser criado por Deus, os anjos e o homem, tiveram a oportunidade de escolher a Deus e essa decisão foi tomada com o uso da livre vontade.Para os anjos já está determinado, 1/3 deles já caíram porque disseram sim à Satanás, e 2/3 disseram sim à Deus. O pecado entrou no mundo através de Lúcifer e os anjos puderam escolher entre o bem e o mal. Quando isso é determinado, não há volta.

2) O pecado faz separação entre Deus e suas criaturas

Deus não pode estar aonde existe pecado. Esse princípio vai de capa a capa na Bíblia.

Isaías 59
1 Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. 2 Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.

Romanos 6
23 porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Habacuque 1
13 Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal e a opressão não podes contemplar;

O mal se originou no coração daquele querubim, do seu interior brotou a soberba e foi concebido um plano, "serei semelhante ao Altíssimo". Quando isso aconteceu, ele separou-se de Deus imediatamente, junto com 1/3 dos anjos.
Ele separou-se de Deus, mas não deixou de ser querubim, com todos os atributos com que foi criado, não deixou de ser um ser pessoal. O homem não deixou de ser homem após ter pecado.
Satanás e seus anjos caídos, formam um exército muito bem organizado, com príncipes, dominadores, demônios; é como uma casta, uma graduação.


Efésios 6
12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.

Quando alguém se afasta do Deus criador (que é a única fonte de vida, de luz, de verdade, de justiça, de amor), automaticamente está em tudo que se opõem a Deus (nas trevas, na mentira, na injustiça, na maldade).

3) Deus julga pelas obras

Temos que entender porque Deus não acabou com o mal no começo de tudo. Por que Ele não julgou Satanás assim que ele caiu de Sua presença? Porque Deus julga suas criaturas por suas obras completas.

I Pedro 1
17 Ora, se invocais como Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo as obras de cada um, portai-vos com temor durante o tempo da vossa peregrinação,

Romanos 2
5 Mas, segundo a tua dureza e coração impenitente, acumulas contra ti mesmo ira para o dia da ira e da revelação do justo juízo de Deus, 6 que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento.

O que é obra? É algo concreto, é aquilo que se faz, uma obra de arte ou uma obra de artesão é uma coisa visível. Posso ter uma ideia dentro de mim, mas se não executá-la, ninguém a verá. O pecado nasce em nosso coração (como no caso de Lúcifer), mas ele se concretiza em nossas obras. A consequência do pecado é a separação de Deus, mas a consequência das obras é o julgamento de Deus.
NOTA: As boas obras não salvam ninguém, a salvação vem pela fé em Jesus Cristo como único e suficiente Salvador, mas as minhas obras demonstram concretamente para todo o universo em quem eu creio. Se eu digo que creio em Jesus e com a minha vida não mostro isso, minha fé é falsa. (Tiago 1:21-25)

O julgamento das obras:

1) Para os que se perderam e estão condenados ao inferno.

Apocalipse 20
12 Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros.


2) Para os salvos em Cristo.

I Coríntios 3
11 Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. 12 Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, 13 manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. 14 Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; 15 se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo.



3) Salvação x Julgamento

João 3
16 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17 Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. 18 Quem nele crê não é julgado o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

Está claro que Deus nos julga de acordo com nossas obras no final de nossas vidas. Com os anjos não seria diferente, Deus está permitindo que Satanás coloque tudo em concreto acerca do que brotou em seu coração, transformando tudo em obras, para poder julgá-lo e bani-lo para sempre. 

Para os anjos não houve plano de salvação, pois eles conheciam a Deus diretamente e viviam em Sua presença. Temos que entender que Deus é amor, mas também é justiça, caso contrário não poderia julgar. Deus odeia o pecado, mas ama o pecador e quer "desesperadamente" salvá-lo. Sua misericórdia  para o homem é tremenda.



Mateus 25
41 Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.

O inferno foi preparado para o Diabo e seus anjos. Deus nunca preparou o inferno (lago do fogo) para os homens. Porém, aquele que em vida não aceitou a provisão de Deus, após o julgamento final, irá para o lago do fogo. (Apocalipse 20:11-15)

4) Satanás e seus anjos

 Satanás é um ser criado, não cria nada, mas imita tudo de Deus; ele é em tudo oposto a Deus. Odeia o homem, pois o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus, o homem é tudo o que ele queria ser.
Em cada época da história, Deus apresenta ao homem seu plano de salvação e Satanás logo apresenta outro, semelhante, para desviar o homem. Satanás não é onisciente e nem onipresente, estes são atributos somente de Deus. Ele é muito bem informado por seus anjos caídos, ele não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. 

Satanás é mencionado na Bíblia com vários nomes: Satanás, Diabo, Belzebu, Beliel, o Adversário, Maligno, Ladrão, Serpente. É chamado de príncipe das potestades do ar. É o cabeça do exército que atua nas regiões celestes. (Efésios 6:12). É chamado por Paulo de deus deste século. É adorado de várias maneiras e através de várias coisas. Em I João 5:19, lemos que o mundo inteiro jaz no Maligno.


"Serei semelhante ao Altíssimo"; é a meta que persegue 24 horas/dia, ele quer o domínio. Quando o anticristo estiver reinando, Satanás estará como o rei de Tiro em Ezequiel 28 (profecia de dupla referência). Um homem estará totalmente como que energizado por Satanás (II Tessalonicenses 2:3-12).
O que impede hoje esse domínio é o Espírito Santo, através da Igreja do Senhor Jesus, a noiva do Cordeiro. Porém, quando Jesus voltar e arrebatar sua noiva (a Igreja), o campo ficará livre, o anticristo aparecerá e dominará o mundo inteiro.

Jesus e Satanás

Jesus não está em uma queda de braço com o Diabo, Ele já o venceu, tem autoridade sobre todo poder maligno e deu essa autoridade à Igreja para viver em vitória contra Satanás e contra suas hostes celestiais. Nós temos que conhecer essa autoridade e usá-la:

Autoridade dada aos apóstolos:

Lucas 9
1 Tendo Jesus convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para efetuarem curas. 2 Também os enviou a pregar o reino de Deus e a curar os enfermos.

Autoridade dada aos demais discípulos:

Lucas 10
18 Mas ele lhes disse: Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago. 19 Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano.

Autoridade dada a todos que crêem, a Igreja:

 Marcos 16
16 Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. 17 Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; 18 pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.

Contudo, qual deve ser a nossa alegria?

Lucas 10
20 Não obstante, alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus.

Sim, devemos nos alegrar todos os dias pela salvação em Cristo, porque através de Seu sacrifício o nome de TODO aquele que crer nele está escrito no Livro da Vida nos céus. ALELUIA!


diHITT - Notícias